Embaixada de Portugal em Estocolmo - Suécia

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Home Diplomáticas "Fonte da Vida" por Hans Holbein
Versão para impressão

"Fonte da vida" por Hans Holbein

 

holbein

Hans Holbein, o Velho
Invº 1466

 

História da pintura

De acordo com o que consta na pasta relativa a esta pintura, a história do quadro é a seguinte:

1519 – Data da realização da “Fonte da Vida” por Hans Holbein, o Velho, em colaboração com o filho na cidade de Basileia (ou em Isenheim, na opinião de Curt Glazer)

1628 – A pintura encontrava-se na colecção de Maximiliano I, na Galeria do Palácio Eleitoral de Munique, tendo passado para a posse de Gustavo Adolfo após o saque à cidade, sendo depois transportada para a Suécia, provavelmente por Gustavo Hoorn, General do exército de Gustavo Adolfo.

1653 – Ainda na Suécia, passa a pertencer à Rainha Cristina Vasa.

1654 (?) – A Rainha oferece-o a D. João IV, o qual o dá de presente à sua filha. Esta, por sua vez, coloca-o na Bemposta. Meados do séc. XVIII – A pintura é vista na Bemposta por Guarenti, que a atribui a um discípulo de Holbein, mais precisamente a Giovanni Holbein. 26 de Março de 1844 – O Conde Raczynski encontra o quadro na capela e lê a assinatura (cf. Lettres, 1846, p. 295)

1846 – D. Manuel de Portugal e Castro, vedor da Casa real, em carta datada de 6 de Fevereiro de 1846, pede informações relativas à pintura, sobre a qual tivera conhecimento através de um discurso de Francisco de Sousa Loureiro, director da Academia de Belas Artes. 7 de Fevereiro de 1846 – Nova carta do vedor pedindo a descrição do quadro ao Cónego, o qual responde a 10 do mesmo mês.

1855 – Nos termos do artº 7º de uma lei de 18 de Junho deste ano, a pintura passa para a posse e usufruto da Casa Real.

1872 – Enviada a dresden para figurar na exposição dedicada a Holbein, tendo sido então vista por Joaquim de Vasconcelos.

1913 – A “Fonte da Vida” é restituída ao Estado e entra no Museu das Janelas verdes em 21 de Julho desse ano.

 

Cortesia do Museu Nacional de Arte Antiga  http://www.mnarteantiga-ipmuseus.pt/

 

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Destaques

Portugal eleito membro do Conselho dos Direitos Humanos

No dia 21 de outubro de 2014, por votação na Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova Iorque, Portugal foi eleito pela primeira vez membro do Conselho de Direitos Humanos, tendo recebido 184 votos, de um total de 186 países presentes e votantes, de entre 193 membros, passando a ocupar uma das duas vagas destinadas a países do Grupo da Europa Ocidental e Outros Estados, em que se insere. Os votos recebidos por Portugal correspondem à quarta votação mais elevada no quadro dos 5 grupos regionais em que se distribuem as 15 vagas e à maior votação de sempre no quadro do Grupo regional em que está inserido.

O mandato tem a duração de três anos e inicia-se no dia 1 de janeiro de 2015, com os demais 14 países eleitos e reeleitos na mesma data, Albânia, Bangladesh, El Salvador, Gana, Letónia, Nigéria, Paraguai, Países Baixos e Qatar, e Bolívia, Botswana, Congo, Índia e Indonésia, respectivamente.  

O Conselho, criado em 2006 para substituir a Comissão de Direitos Humanos, zela pela proteção e promoção dos Direitos Humanos em todo o mundo.

Consulte aqui a página do Governo de Portugal.