Embaixada de Portugal em Estocolmo - Suécia

  • Aumentar o tamanho da fonte
  • Tamanho padrão da fonte
  • Diminuir tamanho da fonte
Versão para impressão

Prémio Nobel da Literatura 1998 - José Saramago

jose_saramago

Em 9 de Outubro de 1998, a Academia Sueca comunicou a atribuição do Prémio Nobel da Literatura a José Saramago "que, com parábolas portadoras de imaginação, compaixão e ironia torna constantemente compreensível uma realidade fugidia".

Com esta justificação, a referida Academia destacava pela primeira vez, não só um escritor português, mas também a Língua Portuguesa. Ao contrário do que quase sempre acontece, esta escolha não foi alvo de contestação nem causou reticências por parte da crítica, facto que fez salientar a "seriedade" literária do escritor cuja obra, foi louvada pelo humanismo dos temas e pela qualidade da prosa.

"Um grande narrador recebeu o Prémio", noticiava o jornal Dagens Nyheter.

O período que se seguiria trouxe a muitos de nós enorme entusiasmo e empenho na preparação de acções que levassem Portugal a ter também parte activa no programa das celebrações Nobel, uma vez que as cerimónias oficiais, bem como a organização dos eventos relacionados com a atribuição do Prémio são inteiramente da responsabilidade daquela Fundação.

As iniciativas propostas da Embaixada de Portugal em Estocolmo teriam como objectivo, não só preparar a visita do laureado mas, para além disso, divulgar a sua obra na Suécia, através de manifestações culturais de excelente oportunidade no ano em que Estocolmo era a capital europeia da cultura.

Integrando estas acções destacaram-se os colóquios na Universidade de Estocolmo, apoiados pelo Instituto Camões e pelo Departamento de Espanhol e Português daquela Universidade, com a participação dos Professores Maria Alzira Seixo, Carlos Reis e José Manuel Mendes; o encontro com José Saramago na Casa da Cultura (Kulturhuset) onde, num trabalho desenvolvido com este Instituto, se organizou uma "conversa informal" entre o escritor e o público com lugar para leitura de trechos em português e sueco de obras suas e inauguração de uma exposição de livros e documentos relativos ao escritor, com o título "O homem dentro do romance". Na Biblioteca Real de Estocolmo (Kungliga Biblioteket) e em colaboração com a mesma, esta Embaixada deu igualmente relevo à obra de José Saramago apresentando uma exposição semelhante que incluiu obras, fotografias, recortes de imprensa e outros documentos.

A AICEP Portugal Global, através da sua Delegação em Estocolmo, quis também assinalar este acontecimento com um evento cultural que intitulou "The Portuguese Nobel Laureate". Tratou-se de um espectáculo que decorreu no Grand Hotel e que incluiu um diaporama sobre o autor, painéis aludindo ao "homem do outro lado do espelho", leituras, peças musicais e um buffet com vinhos e comida vindos de Portugal.

Particularmente sensível à escolha da Academia em laurear José Saramago, a Comunidade Portuguesa na Suécia mostrou o seu interesse pelo acontecimento através de uma participação quase massiva na recepção oferecida em Estocolmo pelo Senhor Presidente Jorge Sampaio. Esta manifestação reafirmou a ideia de que o Prémio Nobel da Literatura é sentido como um prémio a um país, a uma língua, a uma cultura.

O programa preparado pela Academia para José Saramago foi vasto e incluiu não apenas eventos sociais, como também de natureza literária e de divulgação, tais como conferências de imprensa, apontamentos televisivos, palestras, visitas a organismos culturais, etc.

Com a atribuição deste Prémio e por tudo o que ele significou para nós, ficámos a desejar que não tenham de passar "outros 50 anos" para que Portugal venha a receber um novo Nobel.

 

capa_discursos_estocolmo

 

Para saber mais:

Fundação José Saramago www.josesaramago.org

 

 

Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária

Destaques

Relatório de Atividades da Comissão Nacional para os Direitos Humanos

Já se encontra disponível o relatório de atividades da Comissão Nacional para os Direitos Humanos (CNDH) referente ao período de maio de 2011 a dezembro de 2012, cujo conteúdo inclui uma mensagem de abertura do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Europeus e Presidente da CNDH, Miguel Morais Leitão.

Para aceder ao relatório, clique aqui.